Site Cultural de Ovar

15H00

CENTRO DE ARTE DE OVAR

__

entrada gratuita, limitada à lotação do auditório

destinatários M/6

duração 60’

+ info caovar@cm-ovar.pt | 256 509 160

AS PORTAS QUE ABRIL ABRIU

Música



25 de abril de 2024

A convite da Câmara Municipal de Ovar, o Grupo Vocal Canto Décimo celebra o quinquagésimo aniversário da revolução que devolveu a Portugal esperanças perdidas. Só a efeméride já seria motivo bastante para mobilizar este coletivo de mulheres e homens de Ovar que canta, há décadas, os grandes poetas de resistência, mas este exercício comemorativo é um desafio novo, cruzando criativamente canções intemporais, desde o disco de vinil até à música online.“As Portas Que Abril Abriu” conta, além do Canto Décimo, com a participação de alunos da Academia de Música do Orfeão de Ovar, juntando em palco gerações com vivências necessariamente distintas do percurso democrático do país. É um manifesto artístico, da infância analógica à adultez digital, sobre a Democracia que nasceu há cinco décadas e que vive, hoje, de novo, à procura de esperanças perdidas.

 

Comemorações dos 50 anos da Revolução de 25 Abril 


direção criativa Luís Fernandes / d’Orfeu AC direção musical Canto Décimo Guilhermino Monteiro direção musical alunos academia Laura Rui guitarra António Gonçalves Canto Décimo Alfredo Oliveira, Áurea Peneda, Berta Silva, Branca Coutinho, Idalinda Peralta, Isabel Vasconcelos, João Mesquita, João Nuno Silva, José Fernandes, Luís Falcão, Manuela Branco, Manuel Brandão, Maria Clara Baptista, Maria Clara Carrapatoso, Maria Conceição Guimarães, Maria Glória Oliveira, Maria Helena Rocha, Maria Isabel Ramada, Maria Manuela Silva, Maria Rosário Campos, Narciso Oliveira, Rosa Aldina Valente, Rosa Bela Cruz, Rosa Crespo Soares, Rosa Morais, Theresa Jorge e Valdemar Silva alunos da Academia de Música do Orfeão de Ovar Beatriz Duarte, Carolina Barata,  Carolina Rodrigues, Eva Henriques, Francisca Leite, Frederico Ilha, Frederico Rosa, Guilherme Reis, Joana Santos, Joana Martins, Leonor Almeida, Rafael Longo e Rita Novo